• 27/02/2007 - por Luiz de Paiva



    O acrônimo S.M.A.R.T. para a definição de objetivos já é bastante conhecido. O problema é quando se conhece somente a tradução de cada letra, mas não se desenvolve um raciocínio mais amplo do que realmente significa o conceito.

    Portanto, o que realmente procuramos na definição de um objetivo (de negócios, profissional ou pessoal) quando dizemos que ele deve ser S.M.A.R.T?

    S – Specific (Específico)

    Ao definir um objetivo, não se deve deixar espaço a interpretações duvidosas. Quanto mais detalhado for o objetivo, melhor será sua compreensão e maiores suas chances de ser atingido. Você pode fazer as seguintes perguntas para garantir que seu objetivo é específico:

    • Quem está envolvido?
    • O que eu quero atingir exatamente?
    • Aonde deve ser atingido este objetivo?
    • Qual é o período no qual este objetivo deve ser atingido?
    • Quais são meus requerimentos e restrições?
    • Quais propósitos ou benefícios existem em atingir este objetivo?

    Por exemplo, ao invés de definir “Aumentar as vendas em 10%”, um objetivo melhor seria “Obtenção de 10% no aumento de vendas nacionais nas áreas de negócios A, B e C pela equipe X, durante o próximo ano fiscal, sem redução da margem de lucros e mantendo o nível de satisfação do cliente.”.

    Depois de definir o objetivo, avalie se ele está completamente claro para qualquer pessoa com um conhecimento básico do projeto ou da organização.

    M – Measurable (Mensurável)

    Vale repetir a famosa frase “Você não pode gerenciar o que não pode medir”. Qualquer objetivo que não possa ser transformado claramente em um número permite a manipulação e interpretação para que os interessados o considerem atingido ou não. Talvez sua organização não tenha as ferramentas necessárias para medir um objetivo, e neste caso elas devem ser desenvolvidas antes da definição do objetivo.

    Por exemplo, “Melhorar a satisfação dos clientes da loja A em 20% em 3 meses” parece ser um objetivo específico. No entanto, pode acontecer que a loja em questão não tenha um sistema adequado de medição da satisfação do cliente. Desta forma, o gerente da loja poderia usar qualquer variável que tivesse melhorado para considerá-la como determinante da satisfação do cliente, atingindo assim seu objetivo.

    Portanto, é importante ter claramente definido o método ou sistema de medição que será usado para monitorar o objetivo.

    A – Attainable (Atingível)

    Os objetivos sempre devem ser agressivos, mas nunca impossíveis de atingir. É importante lançar um desafio para que a equipe se supere e lute por algo que parece ser difícil, mas isto é muito diferente de definir números que nunca poderão ser obtidos, o que causará frustração e desânimo.

    Ao considerar um objetivo como “atingível”, não se deve pensar somente em “possível” ou “impossível”, e sim nos diversos aspectos que o afetam. Por exemplo:

    • Nossa equipe e liderança têm as habilidades necessárias para atingir esta meta? Se não, há um plano de treinamento e desenvolvimento?
    • Nossos produtos ou serviços possuem a qualidade necessária para tornar a meta realidade?
    • Existe um potencial real no mercado que permita a definição deste objetivo?

    Na prática, as perguntas para cada objetivo serão diferentes, mas o importante aqui é entender que a meta deve considerar os diversos aspectos do negócio, e não seguir somente o ideal de um chefe que não está observando a realidade.

    O A também é algumas vezes chamados de “Agreed Upon” (feito em comum acordo). Isto significa que todos os envolvidos na definição e execução do objetivo o conhecem e estão de acordo com sua viabilidade e benefícios.

    R – Realistic (Realista)

    Muitas vezes o objetivo é possível, mas não é realista. Ao considerar o realismo, você deve pensar em fatores como:

    • A equipe aceitará perseguir o objetivo?
    • Este objetivo está alinhado com a missão e visão da organização?
    • Algum princípio ético é ferido com este objetivo?

    Por exemplo, o objetivo “Reduzir em 30% o gasto com planos de saúde” pode ser atingido simplesmente mudando a categoria dos planos dos funcionários para um nível inferior. No entanto, este não seria um objetivo realista em uma organização que historicamente sempre se preocupou com o bem-estar dos funcionários e não passa por nenhuma dificuldade financeira que justifique estes cortes.

    Um líder que define um objetivo pouco realista está fora de sincronia com a empresa e com sua equipe.

    T – Timely (Em Tempo)

    Esta característica se mistura um pouco com o S (específico). Significa que além do inicio e fim do período de busca do objetivo serem bem definidos, este período não deve ser tão curto que torne o objetivo impossível nem tão longo que cause uma dispersão da iniciativa com o tempo.

    O T também pode ser “Tangible” (Tangível). Isto quer dizer que um objetivo que possa ser sentido, observado ou tocado terá maior chance de ser realizado. Tudo o que melhora o dia a dia da equipe será visto com melhores olhos e os incentivará.




  • 9 Comments to “Objetivos, Entendendo o S.M.A.R.T.”

    • Excelente artigo. Muito bem escrito, coloca de forma clara uma interpretação do acrônimo que facilita sua implantação e uso.

      Parabéns !

    • Luiz de Paiva on 24/12/2007

      Obrigado, Renato!

    • [...] primeiro passo é definir metas que sejam agressivas, mas não impossíveis. A meta deve ser suficiente para gerar uma sensação [...]

    • Pedro Saraiva on 14/03/2009

      Muito bom esse artigo.

    • Luiz de Paiva on 15/03/2009

      Obrigado!

    • Flávia Danzi on 16/03/2009

      Caro Luiz de Paiva,

      Gostei muito do texto e gostaria de colocá-lo como referência de uma norma da empresa na qual trabalho. Seria possível usar esse texto?
      Existe alguma referência formal, pois não posso colocar sites como referência.

      Aguardo retorno
      Obrigada desde já
      Flávia Danzi

    • Luiz de Paiva on 30/03/2009

      Olá Flávia,

      Fique à vontade para usar o texto e colocá-lo como referência.

      Não existe uma referência formal… criei o artigo específicamente para o blog. Espero que ainda assim consiga usá-lo.

      Abraços!

    • Ernaldo de Sousa Oliveira on 12/05/2012

      Gostei do artigo, parabéns pela publicação!

    • Jair Pontes on 29/09/2013

      Excelente explicação do SMART. Fácil de entender e bem claros os benefícios da aplicação. Muito bom mesmo. Obrigado!
      Jair Pontes

    Deixe um comentário