5 Porquês

Publicado em 02/02/2007 por Luiz de Paiva em Melhoria, Qualidade



O “5 Porquês” é uma técnica para encontrar a causa raiz de um defeito ou problema. Esta ferramenta é muito usada na área de qualidade, mas na prática se aplica em qualquer área, e inclusive pode ser muito útil em seu dia a dia. Foi desenvolvida por Sakichi Toyoda (fundador da Toyota), e foi usada na no Sistema de Toyota de Produção durante a evolução de suas metodologias de manufatura.

O princípio é muito simples: ao encontrar um problema, você deve realizar 5 iterações perguntando o porquê daquele problema, sempre questionando a causa anterior. A explicação é mais fácil com um exemplo:

Problema: Os clientes estão reclamando muito dos atrasos nas entregas.

Porque há atrasos? Porque o produto nunca sai da fábrica no momento que deveria.

Porque o produto não sai quando deveria? Porque as ordens de produção estão atrasando.

Porque estas ordens atrasam? Porque o cálculo das horas de produção sempre fica menor do que a realidade.

Porque o cálculo das horas está errado? Porque estamos usando um software ultrapassado.

Porque estamos usando este software? Porque o engenheiro responsável ainda não recebeu treinamento no software mais atual.

Pelo exemplo, podemos ver que a causa raiz das reclamações dos clientes é a falta de treinamento do engenheiro em softwares de produção mais atuais. Se o responsável somente fizesse a primeira pergunta, tentaria mudar o sistema de transportes da empresa, o que provavelmente seria mais caro e não resolveria realmente o problema.

Na realidade, não é necessário que sejam exatamente 5 perguntas. Podem ser menos ou mais, desde que você chegue à real causa do problema. No exemplo, ainda poderia haver um porque mais, e se descobriria que o engenheiro não foi treinado devido a sua forte carga de trabalho. O importante é que esta ferramenta sirva para exercitar as idéias e tire a pessoa de sua zona de conforto.

Também é importante entender que esta é uma ferramenta limitada. Fazer 5 perguntas não substitui uma análise de qualidade detalhada. Uma das principais críticas à ferramenta, é que pessoas diferentes provavelmente chegarão a causas raiz diferentes com estas perguntas. Por isso o ideal é que as perguntas sejam feitas com participação de toda a equipe, para que gere um debate em torno das causas verdadeiras.

Além disso, frequentemente a causa de um problema será mais de uma. Se você usa somente esta ferramenta, pode estar deixando de lado outros fatores importantes para a melhoria de seus processos.

Em um de seus artigos, Bill Wilson cita outras perguntas que devem ser feitas para assegurar que a causa encontrada é correta:

  1. Que provas tenho de que esta causa existe? (É concreta? É mensurável?)
  2. Que provas tenho de que esta causa levará ao problema identificado? (Ou estou apenas fazendo suposições?)
  3. Que provas tenho de que esta é a principal causa que verdadeiramente leva ao problema? (Mesmo que seja um fator importante, a causa principal poderia ser outra).
  4. Algo mais deve ocorrer junto a esta causa para que o problema ocorra? (Serve para esclarecer se o problema não vem de uma combinação de fatores)

Em resumo, esta é uma boa técnica para resolver problemas simples e tomar os primeiros passos para problemas mais complexos, desde que você não se acomode e ache que seu problema está resolvido com 5 perguntinhas.

Compartilhe:
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Rec6
  • Google Bookmarks
  • Print
  • Facebook
  • del.icio.us
  • email

Artigos Relacionados:

  1. A Importância de Alinhar seu Programa de Melhoria com a Estratégia Você pode executar o programa de duas formas: com um planejamento adequado e alinhado à estratégia ou como uma ação...
  2. Custos da Qualidade Os custos da qualidade se manifestam de inúmeras formas. Portanto não se trata de somar o salário dos funcionários deste...
  3. Requerimentos para o sucesso de um Programa de Melhoria 16 requerimentos para o sucesso do Seis Sigma e de programas de melhoria em geral....
  4. Cortes de Custos x Melhoria Quando a situação financeira de uma empresa aperta, a primeira coisa na qual se pensa é no corte de custos....

Tags: , ,



13 Respostas para “5 Porquês”

  1. Ricardo.Fuentes Pinedo

    14. Mar, 2007

    Favor puede enviarme mas ejemplos de aplicación de este tipo de metodologias de identificación de causas.

  2. Luiz de Paiva

    16. Mar, 2007

    Hola Ricardo,

    Seria fácil crear decenas de ejemplos, pero creo que lo más práctico es que tu hagas ejemplos en casos reales de tu día a día. Piensa en algun problema que tengas en tu empresa, y haz esta interacción de preguntas para ver a donde llegas.

    Con el resultado, aplica las cuatro preguntas finales para garantizar que la causa debe ser la correcta. Si tienes algún caso específico, escríbelo aquí e intento ayudarte…

    Saludos,
    Luiz

  3. Arthur Biagioni Junior

    01. Jun, 2007

    Bom dia!

    Prezado Senhor, existe alguma publicação em português que explique com algum detalhe a metodologia do ” 5 Porquês”.

    Grato pela sua atenção

    Arthur

  4. Nuno

    25. Jan, 2009

    Esta ferramenta de trabalho é hoje em dia usada também por outras marcas de automóveis, mas um pouco melhorada! Se fizermos um esquema em que para cada porquê haja várias causas é muito mais simples e vamos encontrar diversas respostas para o nosso problema. Os “5 porquinhos” como lhe chamam é o mais fiavel para encontrar problemas escondidos

  5. Luiz de Paiva

    30. Jan, 2009

    Olá Nuno,

    Interessante esta alternativa… faz todo sentido desdobrar cada porquê em várias causas raíz.

    Abraços!

  6. gabyh

    15. Dec, 2009

    adoreiii… vc simplesmente resumiu tudo

  7. Luiz de Paiva

    25. Feb, 2010

    Obrigado, Gaby

  8. Fernando

    09. Jun, 2010

    Olá Luiz. Num problema que estamos resolvendo na metodologia PDCA, utilizamos na sequência: Cronograma, GUT para selecionarmos o problema, análise da situação, layout, custos, fatos encontrados, ISHIKAWA e em seguida os 5 pqs. Pergunto: Após a realização do Ishikawa fizemos os 5 pqs para ir mais ao fundo das causas levantadas. Falaram pra mim que os 5 pqs se utiliza antes do ISHIKAWA e eu falei que não, pois estou analisando os motivos destas causas do ishikawa para poder trabalhar no meu pleno de ação. Estou correto??

  9. Luiz de Paiva

    09. Jun, 2010

    Olá Fernando,

    Não acho que há uma regra certa ou errada para o tema. No entanto, acho mais prático fazer o 5PQ depois do Ishikawa, para aprofundar a análise de cada causa encontrada.

    Uma alternativa interessante é fazer o 5PQ DURANTE o Ishikawa, para que, ao invés de colocar a causa inicial, coloque a causa-raíz no Ishikawa.

    Mas como disse, a forma melhor você deve experimentar em função do tipo de problema, forma de trabalho da empresa, etc.

    Abraços!

  10. [...] método que acho interessante é o 5 porques, mais tradicionalmente usada em sistemas de qualidade e produção. Vou dar um [...]

  11. MARIA EDUARDA

    05. Jul, 2010

    Olá Fernando!
    Estou fazendo um trabalho baseado no temas 5 porques, e gostaria que esse fosse mais detalhado, pois estou com dificuldades de criar este trabalho. Poderia me auxiliar?

  12. Rodrigo Correia

    19. Nov, 2010

    Parabéns ficou muito simples, didatico, mas profundamente RICO.

  13. Naelson Junior

    31. May, 2011

    metodologia perfeita para encontrar problemas não diagnosticados.

Comente este post